segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

Bacalhau confitado em cama de Puré de Grão de Bico com crumble de broa e couve Galega!


E eis que chegamos ao mês de Dezembro, mais um ano passado...
E para dar inicio ao mês de Dezembro aqui no blog, trago um bacalhau que pessoalmente gosto muito. Mas só o faço no Inverno dias frios. E é uma otima sugestão para a noite de Natal ou de Ano novo, claro se não tiverem uma mãe como a minha. Nesta noites tem que ser bem tradicional.(Bacalhau cozido com batata, penca, grelos e couve galega).
Mas vamos a este bacalhau em cama de humus com um crumble de couve galega, alho e broa. Uma delicia acreditem-me! E muito simples de fazer também. Vamos lá espreitar a receita?
Este confitado é um pouco aldrabado mas a vezes temos que ajustar tempos ao tempo! Verdade que confitar é cozinhar a baixa temperatura, só acelarei um pouquinho o processo mas não rouba qualidade ao prato em si, prometo.
Um prato perfeito para degustar, num dia frio e chuvoso de inverno ❤️



Ingredientes
4 lombo de bacalhau 
Azeite q/b
6 dentes de alho esmagados com casca
3 hastes de tomilho fresco

Ingredientes para Humus
1 fraco de grão de bico já cozido (420gr)
1 tira de pimento com 2cm de largura
Azeite q/b
1 dente de alho
sumo de meio limão
1 pitada de flor de sal
1 pitada de pimentão doce

Ingredientes para Crumble 
6 folhas de couve galega 
400gr de broa Azeite q/b
2 dentes de alho

Preparação do bacalhau
Comece pelo bacalhau, coloque numa assadeira onde fiquem bem acondicionados os lombos (espaço à justa assadeira, lombos) Para poupar no azeite. Cubra os lombos na totalidade com azeite esmague os alhos com a pele e disponha junto ao bacalhau assim como as hastes de tomilho. Leve ao forno, em baixo  a 250ºC assim que o azeite começar a ferver, baixe a temperatura par 180ºC de deixe cozinhar por 30 minutos. 
Preparação do Humus
Num robot de cozinha (usei thermomix) coloque o grão escorrido a tira de pimento, alho, sumo de limão, flor de sal e o pimentão doce, triture tudo alguns minutos vel. 3/5 e 7 até obter um puré bem homogéneo, Rectifique o tempero e reserve.

Preparação do Crumble
Limpe as folhas da couve, retire o tronco, sobreponha umas nas outras e enrole. Corte em juliana o mais fininho que conseguir. Tipo para caldo verde, reserve.
Parta a broa aos pedaços coloque dentro do copo da bimby e dê uns toques de turbo até estar triturada a gosto, reserve.
Numa sertã coloque azeite e os dentes de alho esmagados assim que começar a ferver coloque a couve e deixe cozinhar por uns 5 minutos sempre a mexer aos poucos vá juntando a broa picada e envolva bem no azeite e alho deixe cozinhar alguns minutos até ficar bem crocante, reserve.

Preparar o prato
Gosto de preparar os pratos de forma individual
Coloque uma porção de humus no prato o bacalhau em cima e cubra todo o topo do bacalhau com o crumble, sirva imediatamente com um bom vinho acompanhar e não se vai arrepender. Prometo...
Notas: O azeite que usou para confitar o bacalhau pode guardar e depois usar noutros pratos de peixe, claro. Não desperdice.




Bom Apetite!




segunda-feira, 25 de novembro de 2019

Palmiers de Salmão fumado Creme Fraiche e Aneto!







Esta receita é totalmente inspirada na pagina Les gourmandises de Sara
Para o desafio a cozinhar com: Do Cantinho da cozinheiras. 
Tem uma ou outra alteração sempre direccionada ao meu gosto pessoal.
Uma excelente entrada.
Folhados de  Salmão Fumado, que eu transformei em: Palmiers de salmão fumado. Troquei também a salsa por aneto.
Pois acho que combina na perfeição com o salmão.
Uma entrada bonita para se levar a mesa.
Muito agradável para o Inverno, pois é quentinha.
Espero que gostem.



 Ingredientes
1 embalagem  massa folhada rectangular
300 g de salmão fumado
Creme Fraiche q/b 
Aneto q/b
sumo de limão (gotas)

Preparação
Trabalhe em cima da folha de papel vegetal que vem a embrulhar a massa folhada.
Espalhe o creme fraiche sobre a massa folhada, deixando cerca de 2cm a toda a volta.
Disponha o salmão fumado por cima, aneto picado e umas gotas de sumo de limão.
Comece por enrolar do lado mais estreito até meio, repita o processo na outra ponta.
Os rolos vão se encontrar a meio.
Aperte um pouco, enrole no papel vegetal e leve ao frigorífico, 1 a 2 a
horas.
Leve ao forno pré aquecido a 170ºC cerca de 20 minutos. 
Ou até palmiers ficarem douradinhos.
Sirva  de preferência morno.





Bom Apetite!




sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Batatas Hasselback



Batata!
Quem não gosta, quase impossível resistir a uma boa batata assada, frita, em puré, grelhada ou até mesmo cozida.
Sabiam que:
A batata começou, antes de mais, por ser apenas uma curiosidade botânica, que muito agradava à aristocracia europeia. Dois séculos depois da sua introdução na Europa, Maria Antonieta adornava os seus cabelos com flores da planta da batata, enquanto o marido, o rei Luís XVI, as usava à lapela. O seu consumo como alimento generalizou-se apenas no século XVIII, fustigado por sucessivas crises alimentares e períodos de fome Em 1710, 40% da população do Reino da Prússia morreu devido à escassez de alimentos e é nessa altura que a batata começa a ganhar a simpatia de alguns grupos. Em 1740, Frederico II, o Grande, rei da Prússia, mandou distribuir um manual sobre como cultivar a batata, com o objetivo de combater a inanição.
A batata inaugurou o século XX num papel de destaque no panorama agrícola e alimentar, mantendo a sua preponderância ao longo do tempo, sendo hoje uma das principais bases da alimentação humana, em todo o mundo.
Em Portugal, a batata foi inicialmente cultivada em meados do século XVIII, em regiões como Trás-os-Montes, Minho e Beiras. As invasões napoleónicas, no início do século seguinte, com os soldados franceses a trazerem batatas nas suas provisões, ajudaram a divulgar o alimento.
Em 1870, o livro de culinária O Cozinheiro dos Cozinheiros, da autoria de Paulo Plantier, coloca pela primeira vez a batata nos tratados de culinária, apresentado 18 maneiras de a cozinhar. Seis anos depois, outro livro, Arte de Cozinha, de João da Mata, introduz a batata nas mais variadas receitas, tornando-a indispensável à gastronomia portuguesa.
Pode ver mais factos muito interessante sobre a batata: AQUI
Mas a que trago hoje é a Batata Hasselback, uma batata que fica com uma apresentação lindíssima. E que combina muito bem com carne ou peixe.



Ingredientes
Batatas (as que quiser)
Flor de sal q/b
Alho em pó q/b
Azeite q/b
Salsa seca q/b

Ingredientes Molho
2 dentes de alho
60 ml/gr de azeite
15 ml/gr vinagre branco
pimenta preta moida na hora q/b
Flor de sal q/b

Preparação
Comece por lavar muito bem as batatas, com ajuda de um esfregão mesmo, seque-as.
Tente que tenham todas mais ao menos menos mesmo tamanho.
Corte as batas as rodelas fininhas mas sem separar unida pelo fundo(base)
Aqui tem um truque coloque a batata dentro de uma colher de sopa e fatie a batata, a borda da colher não deixará que a faca vá até ao fundo separando a batata.
Coloque dentro de uma assadeira, reserve.
À parte numa tigela junte o azeite, alho em pó, flor de sal e a salsa seca mexa muito bem até dissolver a flor de sal. E regue as batatas com este molho.
Tendo o cuidado de fazer com que o molhe se entranhe nos golpes da batata. Para fazer chegar o sabor dentro da batata.
Leve ao forno a 200ºC cerca de 40 a 60 minutos . Durante o tempo que esta a assar regue a batata com o molho.

Preparação de molho para batata. Método Termomix
Entretanto ao lado num robot de cozinha coloque 2 dentes de alho, 60 ml/gr de azeite, 15 ml/gr vinagre branco, pimenta preta moída na hora q/b e uma pitada de flor de sal q/b. Triture 1 mint/vel.4. Reserve.

Preparação de molho para batata. Método Tradicional
Coloque num copo alto os dentes de alho, 60 ml/gr de azeite, 15 ml/gr vinagre branco, pimenta preta moída na hora q/b e uma pitada de flor de sal q/b. Triture com ajuda da varinha magica. Reserve.

Assim que as batatas estiverem assadas sirva com uma carne grelhada, assada ou com peixe também vai muito bem. regue generosamente com o molho que fez.
Prometo que não se vai arrepender.




 
 Bom Apetite!



segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Zoodles de Courgette com Gambas à Bolhão Pato!



Tem dias que são totalmente dedicados a preguiça e ontem foi um deles.
Quase não sai de casa. E o pijama foi o meu melhor amigo assim como  o sofá e a tv. Pronto, foram 3 amigos...
Programas de culinária, filmes, series pois é... vida difícil.
Também aproveito para dizer que  no final do Verão comprei no lidle um espiralizador eléctrico que dês-de já vos digo é fantastico. 
Uma excelente aquisição.
Muito pratico, deixem-me dizer.
E com a ajuda do meu espiralizador saiu este almocinho, rápido, saboroso mas nutritivo.
Comida de conforto, para um dia de chuva, dedicado a senhora Preguiça.
Espero que gostem.



Ingredientes 3 pessoas 
2 courgettes
12 gambas
Flor de sal
2 dentes de alho 
Azeite q/b
Sumo de 1 limão
1 malagueta 
50 ml de vinho branco
Coentros secos q/b

Preparação
Comece por tirar a pele as gambas deixando a cabeça e o rabo. Tempere com sumo de meio limão e flor de sal, reserve.

Entretanto lave bem as courgettes e com ajuda de um espiralizador faça os zoodles.

Leve a saltear em azeite e alho por uns minutos apenas, não precisa cozinhar muito. 

Numa outra sertã ao lado leve as gambas também a saltear mas a bolhão pato.
Azeite, alho,malagueta  refresque com vinho branco e o sumo de limão assim que ficarem rosadas, cozinhe mais dois a três minutos só para dar ponto ao molho, rectifique tempero e sirva.

Um ninho de Zoodles 4 gambas e uma dose generosa do molho bolhão pato.
Salpique com coentros secos. 



Bom Apetite!



quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Francesinha do Mar!





Francesinha um petisco tão bom, tão do Porto da bela cidade do Porto, cidade Invicta.
A minha cidade.
E claro como uma boa nortenha adoro Francesinha, mas confesso que prefiro fazer em casa.
E como também sou grande apreciadora de marisco hoje trago uma Francesinha do mar com camarão uma delicia.
Exactamente igual as outras só acrescenta mesmo o camarão ou outro marisco que lá se queira por.
Uma forma mais elaborada mais rica de comer Francesinha.
Espero que gostem.




Ingredientes para molho
50 gr de azeite
2 cebolas medias
3 dentes de alho
1 folha de louro
1 a 2 malaguetas
2 caldos de carne
250 gr de de tomate bem maduro (Ou polpa de tomate)
100 gr de bife
2 rodelas de chourição
2 rodelas de salame
2 fatias de fiambre
1/2 linguiça
20 gr de molho Inglês
50 gr de Whisky ou  Brandy ou Rum
50 gr de vinho do Porto 
330 gr de cerveja

150 gr de vinho branco de boa qualidade
100 gr de água
30 gr de Amido de milho


Ingredientes Para Francesinha  por pessoa
2 fatias de pão de forma
1 bife fininho
1 salsicha fresca
1 linguiça 
1 fatia de fiambre 
1 fatia de queijo +4 para cobrir 
4 camarões (ou outro marisco a escolha)

Preparação do molho em Robot de cozinha Thermomix
Coloque no copo a cebola,o alho e o azeite e pique 6 segundos, velocidade 5. Programe 7 minutos, temperatura 100°, velocidade 1.
Adicione os restantes ingredientes, excepto o amido de milho e a água e programe 20minutos,/ temperatura varoma,/ velocidade 1. nesta fase coloque o marisco a cozer na varoma, reserve depois.
Quando terminar junte o amido de milho, dissolvido na agua e programe 5 minutos,\ temperatura 100°, velocidade 1.
Retire a folha de louro e triture 1  minuto progressivamente nas velocidades 5-7-9.
  
Preparação do molho método Tradicional
Comece por refogar em azeite a cebola picada e o alho e a malagueta.  Quando alourar junte a folha de louro o tomate e as carnes e o vinho deixe refogar uns 10 minutos. junte por fim a cerveja e restantes vinhos assim com  o molho inglês.
Deixe levantar fervura.  À parte dissolva o amido de milho  num pouco de água. Junte ao molho aos poucos até este adquirir uma consistência a gosto.Retire o tacho do lume, retire a folha do louro e com uma varinha mágica triture tudo.
Enquanto confecciona o molho, coloque (uma rede, um tabuleiro especifico) para coser os marisco ao vapor enquanto faz o molho, cosem muito rápido. reserve depois.

Montar a francesinha
Comece por grelhar os bifes a seguir as salsicha fresca reserve. Leve o pão a torrar ligeiramente. Coloque sobre uma fatia de pão  o bife, o fiambre, uma fatia de queijo, a linguiça e a salsicha fresca. Coloque a outra fatia de pão e cubra com queijo. Leve a gratinar. 
Coloque no prato onde vai servir coloque em cima uma concha de vieira com 4 camarões cozidos , 2 descascados e e com casca, cubra com molho. 
Acompanhe com batata frita a gosto.
Nota: Não usei nenhum sal pois já tinha vários componente componentes com adição de sal (enchidos caldo de carne , molho inglês) Não precisou mas dá sempre para ajustar ao gosto pessoal.





Bom Apetite!




quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Empada de Cogumelos (selvagens)



Cogumelos, são tão bons mas tão bons! Eu gosto muito, de todas as maneiras e feitios, confesso.
E nesta altura do ano eles abundam na natureza com todo seu esplendor de varias formas, feitios e cores lindas. Claro que grande maioria deles são venenosos, por isso não mexer! Só tirar foto ás suas lindas formas e cores.
Mas tem um em especial que é comestível, quer dizer que eu reconheço.
Porque tem mais. Como não conheço, não mexo.
O que conheço,reconheço bem é este:
Macrolepiota procera também conhecido
 por vários outros nomes tais como: púcara, pucarinha, chapéu-de-sol, para-sol, roque, roca, roco, agasalho, gasalho, marifusa, tortulho, tratulho, trambulho, calcinha, santieiro, sentieiro, choteiro


 Pode ver mais informação aqui: Macrolepiota procera


No meu muito pouco conhecimento acho que este é o mais comum dos cogumelos selvagens comestíveis.
É muito bom. E eu estou super orgulhosa pois sei reconhece-los, identificar e este ano pela 1º vez apanhei alguns, 10 mais exactamente.
De sabor são deliciosos.
E pronto só para verem como fiquei orgulhosa do meu feito...
Ei-los todos aqui.

E com estes lindos meninos fiz uma bela empada para mim . Foi o meu almoço bem tardio, depois das 15 horas e 30 minutos, mas valeu bem a espera.
Uma verdadeira delicia. 
Claro que esta deliciosa empada pode e deve ser feita com cogumelos de compra e se for tipos variados fica maravilhosa, acreditem no que vos digo.
E façam-na, não se vão arrepender garanto.



Ingredientes massa
30 gr/ml de água morna
10 gr de azeite
30 gr de vinho branco
30 gr de margarina
flor de sal q/b
15 gr de fermento fresco de padeiro
1 ovo
300 gr de farinha

Ingredientes recheio
9 cogumelos (descartei um)
1 cebola pequena roxa
Azeite q/b
Flor de sal q/b
3 dentes de alho 
1 malagueta
Vinho branco q/b
Queijo Roquefort q/b
1 gema de ovo

Preparação da massa método tradicional
Num recipiente largo coloque a agua morna com o, azeite, margarina,flor de sal, vinho e o fermento de padeiro. Com ajuda de um garfo desfaça bem o fermento e derreta a flor de sal. Junte a farinha e o ovo amasse bem, até obter uma massa lisa e elástica. 
Aqui pode recorrer a ajuda de um robot de cozinha bem mais pratico.
Reserve num local morno um pouco, até massa dobrar de tamanho.


Preparação do recheio método tradicional
Trate dos cogumelos limpe bem os pés raspando com uma faca tirando a pele do meio do pé para a raiz do cogumelo.
lave cuidadosamente e parta em pedaços.
Corte a cebola em meias luas, reserve.
Leve uma sertã ao lume com azeite, alho e a malagueta picada, assim que fervilhar coloque a cebola e os cogumelos a refogar, refresque com uns pingos de vinho branco rectifique temperos. Deixe arrefecer um pouco.


Estique a massa  de modo a forrar a forma escolhida para fazer a empada.

Forre a forma e as laterais deixado cerca de 1cm fora.
Coloque o recheio por cima da massa, esfarele um pouco de queijo roquefort por cima, vai derreter e entranhar seu sabor forte e único.  Estique mais um pouco de massa e coloque por cima do recheio e feche com a borda de 1 cm da parte de baixo. 
Colar bem a extremidade a toda a volta.

Abra um orifício no centro para saírem os vapores.
E como ainda vai sobrar massa pode dar largar a imaginação, esticar e com formas cortar pequenos desenhos e colocar em cima eu como sou uma eterna romântica escolhi ❤️❤️❤️❤️

Pincele com a gema de ovo e leve ao forno pré aquecido a 180ºC durante 30 a 45 minutos até a massa estar dourada e cosida.
Sirva acompanhado com uma salada verde.

Preparação da massa robot de cozinha (Thermomix)
Coloque no copo todos os ingrediente, excepto o ovo e a farinha. Programe
1,30 min/37°C/vel 2.
Junte o ovo, a farinha e programe 2 min/vel. espiga. Reserve e deixe levedar 30 minutos.

Preparação do recheio robot de cozinha(Thermomix)
Coloque no copo o azeite e os alhos pique 5 seg./vel.4.
Cozinhe 4 mint./vel.colher/100ºC
Refresque com vinho branco, cozinhe mais 4 mint/100ºC/vel.colher, junte a malagueta e de um toque de turbo.
Junte os cogumelos e a cebola laminada e refogue 15 minutos/vel.colher inversa/100ºC. rectifique temperos. Deixe arrefecer um pouco.

Estique a massa  de modo a forrar a forma escolhida para fazer a empada.
Forre a forma e as laterais deixado cerca de 1cm fora.
Coloque o recheio por cima da massa, esfarele um pouco de queijo roquefort por cima, vai derreter e entranhar seu sabor forte e único. Estique mais um pouco de massa e coloque por cima do recheio e feche com a borda de 1 cm da parte de baixo. 
Colar bem a extremidade a toda a volta.

Abra um orifício no centro para saírem os vapores.
E como ainda vai sobrar massa pode dar largar a imaginação, esticar e com formas cortar pequenos desenhos e colocar em cima eu como sou uma eterna romântica escolhi ❤️❤️❤️❤️

Pincele com a gema de ovo e leve ao forno pré aquecido a 180ºC durante 30 a 45 minutos até a massa estar dourada e cosida.
Sirva acompanhado com uma salada verde.






Bom Apetite!


sábado, 9 de novembro de 2019

Ceviche de Robalo!




Ceviche! Não, não é peixe cru! 
Ceviche ou seviche, é um prato da culinária peruana baseado em peixe cru marinado em sumo de limão ou lima ou outro cítrico. O essencial é que o pescado seja branco, mas de carne firme; camarão, lagosta ou mesmo polvo podem também ser usados. Wikipédia
Ou seja é cozinhado pelo acido cítrico.
Eu pessoalmente gosto muito e de vez em quando lá sai por casa. 
Esta receita e Do Chefe Rui Ribeiro do maravilhoso  Blog Faz e Come.
Assim que a vi decidi: É para fazer.
Um jantar leve! Uma entrada, mas uma certeza. Delicioso este ceviche de robalo.




Ingredientes
Robalo em filete 400 gr 
1/2 cebola roxa
1 limão
2 limas
1 colher de sopa de leite de coco
1 malagueta vermelha
1 raminho de coentros
3 kumquats
1 abacate
3 tomates cereja
Azeite q/b
Flor de sal

Preparação
Comece pelo robalo, tem que o filetar ou então pedir na peixaria para o fazer. 
Bem mais simples assim! Eu fiz o meu gosto de amanhar peixe, assim guardo a cabeça e as espinhas para um caldo de peixe.
Depois de ter os filetes lave bem e seque com papel de cozinha.
Parta aos cubos com cerca de 1 cm.

Adicione o sumo das limas e do limão, o leite de coco e uma pitada de  flor sal. Misture bem e deixe marinar durante cerca de 20 minutos.
Durante o tempo da marinada, o peixe deverá ficar opaco. É assim que fica "cozido" pela acção dos ácidos cítricos.
Entretanto neste tempo  de espera, corte a cebola em meias luas fininhas.     malagueta as rodelas. Os kumquats  as rodelas. Os tomates cereja em quartos. A pêra abacate em cubos, salpique com sumo de limão para não oxidar.
Faça empratamento numa tigela larga e funda, dispondo de forma aleatória todos  os ingredientes. Tempere com azeite, um quarto de limão, flor de sal e uma folhas de coentros. Sirva imediatamente. 






 Bom Apetite!